Terça-feira, 1 de Outubro de 2013

Pedro Rocha dos Santos Censurado em Cascais

 

 

No início desta semana, depois de concluído o acto eleitoral autárquico em Cascais em que participei como apoiante do Movimento Independente SerCascais, fui contactado pela direcção da empresa organizadora do GreenFest, que decorre no Centro de Congressos do Estoril, informando-me que os recém-eleitos autarcas de Cascais os haviam contactado e exigido que fosse cancelada a minha participação como orador na Conferência sobre Turismo Sustentável prevista para esta Sexta-feira.

Este acto de censura surge depois de o convite me ter sido formulado e de eu o ter aceite há cerca de 1 mês atrás; de ter sido anunciado o programa do evento no qual se incluía a minha participação; de terem sido enviados os convites com o dito programa; e de terem sido publicadas diversas peças promocionais no quais constava o meu nome e a minha conferência e de eu ter enviado convites pessoais a pessoas do sector, a profissionais e amigos. 

Para além de configurar uma afronta inaceitável à minha pessoa, este acto ignóbil põe em causa a minha competência profissional, o meu bom nome e toda a credibilidade internacional que angariei no sector do turismo sustentável, consolidando uma estratégia que levou muito longe o nome do Estoril e que tornou possível que a nossa região e o Centro de Congressos tivessem sido premiados em vários fóruns pelas boas práticas ao nível da sustentabilidade.

Perante esta situação, vejo-me obrigado a tornar pública a minha posição, defendendo a minha honra e sublinhando que a perseguição de que agora sou alvo, é exclusivamente de cunho político, por considerar que a opção de extinguir o Estoril é um ataque àquela que é, sem sombra para dúvidas, umas das mais pujantes potencialidade da nossa região, pondo em causa o futuro da mesma e, por extensão, as perspectivas de um futuro equilibrado e saudável das próximas gerações de Cascalenses. 

O carácter salazarento deste tipo de intervenção, pouco mais de 24 horas depois de encerrado o acto eleitoral, denota que estive certo na minha decisão de defender de forma explícita o Turismo do Estoril, e de ter afirmado, de forma peremptória, que a opção política tomada pelo actual executivo municipal nada tinha a ver com os interesses da região mas sim com interesses particulares dos partidos que governam Cascais e, mais ainda, com os interesses particulares mesquinhos daqueles que os partidos que agora estão no poder. Denuncia um ataque cerrado à História da nossa terra, ao trabalho desenvolvido ao longo de mais e um Século nesta região e, sobretudo, aos excelentes resultados que desde sempre – e até agora – a região do Estoril alcançou a nível internacional.

Em suma, este acto de censura é uma tentativa de calar Cascais e os Cascalenses!

Apelo, desta forma, a todos vós, para que nos ajudem a tornar público este apelo. Dele depende o futuro da Região de Turismo do Estoril, da vocação turística municipal de Cascais e da qualidade de vida de muitas gerações de Cascalenses.

Porque o Estoril não vai morrer desta maneira nas mãos sujas destes algozes. Porque o Estoril também vale a pena!

Pedro Rocha dos Santos

publicado por MovimentoSerCascais às 10:00
link do post | comentar | favorito
partilhar
Quarta-feira, 25 de Setembro de 2013

Carreiras Coloca "Boys" na Câmara de Cascais



Autarca nomeou militantes do partido para trabalhar no município e também as mulheres de Marco António Costa e do ministro Pedro Mota Soares.

por: António Sérgio Azenha

Carlos Carreiras, atual presidente e candidato à Câmara de Cascais pela coligação PSD/CDS PP, nomeou várias pessoas ligadas aos partidos dessa coligação para trabalhar na autarquia.

Entre as pessoas colocadas no município estão a mulher de Marco António Costa, vice-presidente do PSD, a mulher de Pedro Mota Soares, ministro da Segurança Social, João Salgado, da comissão política do PSD Cascais, e Pedro Folgado, militante do PSD. 

Daniela Pereira, mulher do vice-presidente do PSD, foi nomeada, em março deste ano, para secretária no gabinete do vice-presidente Miguel Pinto Luz, presidente da comissão política distrital do PSD Lisboa. E, em julho, foi contratada Ana Sofia Mota Soares, mulher do ministro da Segurança Social, para trabalhar na área da Educação. 

Carlos Carreiras justifica a nomeação de Daniela Pereira desta forma: "É licenciada em matemáticas, acreditamos no seu potencial e pensamos que não tem de ser prejudicada por ser casada com quem é". Sobre Ana Sofia, frisa que foi requisitada ao Ministério da Educação.

António Capucho, antecessor de Carreiras na autarquia, não apoia a recandidatura do autarca por entender que o projeto de Cascais "está comprometido" com as propostas eleitorais e a prática política da coligação.

Já Carreiras diz que em 2013 reduziu o endividamento líquido da autarquia para 37 milhões de euros. No portal da Despesa Pública há registos de gastos de 2,2 milhões de euros em eventos, marketing e catering.


publicado por MovimentoSerCascais às 11:20
link do post | comentar | favorito
partilhar
Sábado, 10 de Agosto de 2013

O Endividamento da Câmara Municipal de Cascais




Será aceitável que a Câmara Municipal de Cascais tenha aumentado o seu endividamento líquido de 2.625.776,00 Euros em 2008 para 88.836.317,00 Euros em 2012? E que isso represente um acréscimo de 49% da dívida com repercussões que os Cascalenses sentirão ao longo de várias gerações? Será aceitável que Cascais seja hoje o 6º Município mais endividado do País?!

publicado por MovimentoSerCascais às 10:15
link do post | comentar | favorito
partilhar
Segunda-feira, 8 de Julho de 2013

A Esposa da Coligação PSD/CDS-PP ou a Verdade da Democracia

 

 

 

Caros amigos,

 

Temos vindo a receber, cada vez com maior insistência, contactos dos munícipes de Cascais indignados com o facto de a Câmara Municipal de Cascais e as empresas municipais terem uma frota automóvel visivelmente de grandes dimensões que, numa época de crise como é esta que infelizmente atravessamos, choca os cidadãos que consideram injustificável a sua manutenção e as condições em que a mesma é utilizada.

 

Tentámos saber, através da documentação oficial, quantos são, quanto custaram e em que condições são utilizados os ditos veículos de forma a esclarecer os munícipes que nos contactaram. Não o tendo conseguido fazer, optámos por enviar ao actual Presidente da CMC um email com a listagem das perguntas que nos colocaram (ver aqui: http://www.slideshare.net/SerCascais2011/frota-da-cmara-municipal-de-cascais), o que nos permitiria, de forma rigorosa e transparente, avaliar da pertinência, da necessidade e da justiça associada a esta frota.

 

O Presidente da CMC optou por não nos responder. Algum tempos depois, recebemos  um email de um dos seus assessores que, sem responder a nenhuma das questões que colocámos, diz que a atribuição de viaturas segue as mesmas regras que existiam no período em que fui vereadora independente da CMC (1998-2002).

 

Não sendo isso verdade, pois naquele tempo os assessores, chefes de gabinete e secretariado  não tinham direito a viatura paga com dinheiro municipal, resta-nos concluir que a Câmara Municipal de cascais não quer esclarecer os munícipes sobre as dúvidas legítimas que os cidadãos lhes colocam.

 

Por isso, é com muita preocupação e o reforço das dúvidas que esta falta de esclarecimentos levanta que aqui deixamos a lista de perguntas que endereçámos ao Presidente da CMC, sublinhando que os munícipes de Cascais têm o direito de saber com exactidão o que se passa:

 

1) Quantas viaturas estão alocadas ao serviço da Câmara Municipal de Cascais?

 

2) Que marcas e modelos de viaturas estão alocadas ao serviço da Câmara Municipal de Cascais?

 

3) A quem estão atribuídas as viaturas alocadas ao serviço da Câmara Municipal de Cascais?

 

4) Com que tipo de regime são utilizadas as viaturas alocadas ao serviço da Câmara Municipal de Cascais?

 

5) Quantas viaturas estão alocadas ao serviço das empresas municipais?

 

6) Que marcas e modelos de viaturas estão alocadas ao serviço das empresas municipais?

 

7) A quem estão atribuídas as viaturas alocadas ao serviço das empresas municipais?

 

8) Com que tipo de regime são utilizadas as viaturas alocadas ao serviço das empresas municipais?

 

9) Quais são os critérios relativos à atribuição deste tipo de viaturas?

 

10) Quem assume os custos relativos a manutenção destas viaturas?

 

11) Quem assume os custos associados à utilização destas viaturas como portagens, estacionamentos, etc.?

 

12) É permitido o uso destas viaturas para fins pessoais ou somente para serviço municipal?

 

13) Porque motivo tantas viaturas municipais possuem cadeirinhas de crianças nos bancos traseiros?

 

14) As viaturas municipais estão autorizadas a circular fora do território municipal? Em que circunstâncias?

 

15) As viaturas são utilizadas durante os períodos de férias dos seus utilizadores?

 

16) Existem viaturas municipais atribuídas a pessoas que não são funcionários municipais? Quais e porquê?

 

 

Porque o exercício da democracia exige transparência, rigor e honestidade e isso é incompatível com o silêncio com que a coligação PSD-CDS/PP lida com quem se importa com o futuro de Cascais, aqui fica o nosso apelo à verdade e o compromisso de que o esclarecimento dos munícipes será a prática corrente depois das eleições autárquicas de Setembro.

 

Porque à mulher de César importa ser séria…

 

Porque vale a pena SerCascais!

 

Isabel Magalhães

publicado por MovimentoSerCascais às 11:53
link do post | comentar | favorito
partilhar
Quinta-feira, 4 de Julho de 2013

Giroflé Giroflá na Coligação Partidária PSD/CDS-PP

 

 

Caros Amigos,

 

Não quero nem vou discutir quem traiu quem; quem disse asneiras; quem espetou a faca nas costas do outro; quem foi ingénuo e quem deixou de o ser; se A, B ou C foram irresponsáveis e se qualquer um deles – ou todos – colocaram os seus interesses acima dos interesses de Portugal e dos Portugueses.

 

A muita prosápia, os fait-divers e o foguetório com que nos atordoaram ao longo destes dias, possivelmente com o intuito de desviar a atenção sobre o único assunto verdadeiramente importante para os Portugueses – o futuro de Portugal – demonstram bem o falhanço global das instituições políticas que temos e, acima de tudo, a falência completa de todo e qualquer resquício de representatividade democrática que ainda restava. Chegou ao fim.

 

Dos partidos políticos que estão no poder, o PSD e o CDS/PP, que já não representam nada nem ninguém e que sobrevivem a estas cenas de ópera bufa de qualidade intolerável com que nos brindam diariamente… até à oposição, que não tendo a capacidade de ser alternativa vai fingindo e mentindo tão completamente que chega a fingir que é dor a dor que deveras sente… passando pela Assembleia da República que vai pulando ao sabor das ordens que recebe dos líderes partidários… e culminando no Presidente da República, notoriamente perdido no tabuleiro do Jogo da Glória em que as peças vão dançando…

 

Já todos mostraram, provaram e sublinharam que não querem saber de Portugal, não se importam com o que possa acontecer aos Portugueses e que vivem exclusivamente para se perpectuar no poder partindo e repartindo a Nação e distribuindo entre si a riqueza produzida pelo Portugueses.

 

Como se estivessem a brincar às casinhas, zangam-se hoje e fazem as pazes amanhã, marimbando-se por completo no descrédito internacional de Portugal, na inaceitável taxa de desemprego, no descalabro da nossa economia e, sobretudo, na inexistência, dentro deste quadro partidário, de soluções que nos permitam vislumbrar a recuperação ou um cenário diferente.

 

Em Cascais a situação é semelhante.

 

A mesma coligação formada pelos mesmos partidos, o PSD e o CDS/PP; as mesmas pancadas nas costas e jogos de bastidores; um clima de suspeição e de medo instalados generalizadamente entre as instituições do Concelho; uma atroz falta de planeamento bem visível na indiscritível proposta de PDM apresentada pelos partidos do poder; um uso e abuso dos bens públicos e no dinheiro dos Cascalenses; jogadas encenadas com “estrelas” das telenovelas  que pagos com o nosso dinheiro vêm fazer coro com o presidente como se Cascais fosse um enorme “Big Brother” onde a Câmara faz de Teresa Guilherme; carros, favores e benefícios distribuídos à mão cheia por todos aqueles que se dobrarem perante suas excelências; um foguetório marcado pelas festanças permanentes que fingem aclamar quem está no poder; um nível de endividamento que constrange o nosso futuro, e o futuro dos nossos filhos e netos; e mentiras e mais mentiras que tentam enganar os Cascalenses…

 

Agora, infelizmente, já não sobra espaço para mais jogos. Já todos percebemos que o espectáculo que eles montaram não engana ninguém e que a democracia e a representatividade dos Portugueses está ferida de morte com o actual sistema. Os partidos políticos, divorciados da população, da sua vontade, dos seus anseios e até das suas necessidades mais prementes, estão sozinhos no palco onde brincam à mesma, fingindo que não sentem na pele o pânico que os trespassa perante a possibilidade de terem de abandonar os tachos, os privilégios e as mordomias com as quais alimentam as suas clientelas de apaniguados à conta do Estado, da nossa terra e dos Portugueses.

 

Portugal bateu no fundo e, com o futuro das próximas gerações comprometido, chegou a hora de darmos um murro na mesa e de dizer que já chega!

 

Já chega!

 

Chegou a hora de devolver Portugal aos Portugueses! Chegou a hora de pôr fim ao intocável monopólio dos partidos e de dar voz ao País real, aquele que vive, aquele que sente, aquele trabalha verdadeiramente e dá o seu suor pelos netos dos Portugueses.

 

Cascais vai dar o mote, vai mostrar que é possível assumir o caminho de futuro provando que existem alternativas que garantem a qualidade de vida a todos os Cascalenses. Porque vale a pena SerCascais!

 

Porque somos nós Portugal!

 

Isabel Magalhães

 

(Líder do Movimento SerCascascais e Candidatada Independente à Presidência da CMC)

publicado por MovimentoSerCascais às 11:07
link do post | comentar | favorito
partilhar

pesquisar

Eleições autárquicas 2013

O SerCascais - Movimento Independente, liderado por Isabel Magalhães, é um Grupo de Cidadãos Eleitores sem qualquer apoio partidário ou ligação política, candidato às eleições autárquicas de 2013 em Cascais.

Ligações

posts recentes

Pedro Rocha dos Santos Ce...

Carreiras Coloca "Boys" n...

O Endividamento da Câmara...

A Esposa da Coligação PSD...

Giroflé Giroflá na Coliga...

tags

todas as tags

arquivos

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

subscrever feeds